Aspiração Folicular
O processo de aspiração folicular é a retirada dos oócitos (óvulos imaturos) direto do ovário da fêmea, através de uma bomba de vácuo, guiada por ultra-sonografia. O material genético de cada doadora é colocado em tubos separados e enviados ao laboratório.

Transporte dos oócitos até o laboratório
Os oócitos são transportados na temperatura de 38º, imersos em meio de maturação, com atmosfera controlada. Esse ambiente possibilita o amadurecimento das estruturas durante o transporte, podendo ultrapassar, inclusive, as 8 horas convencionais entre fazenda e laboratório.

Maturação
No laboratório, os oócitos são colocados em placas contendo meio específicos para finalizar às 24 horas de maturação. A partir desse momento, os oócitos estão prontos para serem fecundados.

Fecundação
Antes da fecundação o sêmen a ser utilizado passa pelo processo de centrifugação a fim de separar os espermatozóides vivos dos mortos e por uma avaliação de motilidade e concentração. A porção viva do sêmen é adicionada juntamente com os oócitos em placas contendo meios de fecundação, onde ficam por no máximo 24 horas.

Cultivo
Após as 24 horas da fecundação os zigotos são lavados e transferidos para uma placa com meio de cultivo. No dia 03 de cultivo é avaliada a taxa de fecundação e no dia 07 os embriões estão aptos para serem transferidos.

Transferência
Os embriões são envazados individualmente em palhetas, identificados e transportados em temperatura média de 35º. O tempo ideal entre o transporte e o final da transferência é de 8 horas.
Na transferência, os embriões são depositados no útero de receptoras previamente sincronizadas, submetidas a um rigoroso manejo nutricional, sanitário e reprodutivo.

Prenhez e Sexagem
Após 30 dias da fecundação é realizado o diagnóstico de gestação com auxílio de ultra-sonografia e aos 60 dias é possível identificar o sexo do feto. A partir daí há o desenvolvimento normal do feto até o nascimento.

Transporte de ovários
Após a retirada dos ovários do animal que veio a óbito, os mesmos devem ser colocados em solução fisiológica ou DPBS em temperatura de 35º e enviados ao laboratório o mais breve possível, desde que não ultrapasse 8 horas.